domingo, 28 de maio de 2017

... num BANG e... num bing!!!...

... quando te bater à porta,
não estranhes,
pouco fizeste...
contribuiste,

com a tua indiferença,
tão longe me vais ficando,
não interessa,
qual é a pressa???...

o pior
é que a peçonha
vai avassalando,
por tudo quanto é MUNDO,
por tudo quanto é terra,
por tudo quanto é canto,

mal de morte,
pouca sorte,
mal profundo,

interligados,
queiramos ou não,
mal da globalização,
partidirização,
inclinação...

metidos até ao âmago,
amargo, cruel,
insensível,
quão incrível,

casa nossa destruida,
não há fuga,
não há escape,
erros tremendos,
disparate,
sem remendos,

basta um dedo inconsciente,
uma birra mais acentuada,
uma mente enlouquecida,
uma liderança fraca,
um juízo precipitado,
um caso malparado,
um passo não premeditado,

um fósforo aceso,
incêndio propenso,
labareda enorme
que tudo consome,

justos,
pecadores,
ricos, pobres,
donos, senhores,
reles, escravos,
vassalos sem voz,
crentes, ateus,
muçulmanos,
judeus,
cristãos de várias estirpes,
budistas, hindus,
credos diminutos
ocultos na selva,
formigueiros urbanos,
civilizações de truz,
apagamento integral,
para nosso final,
apocalipse total,

também te baterá à porta,
não sejas indiferente,
se a COISA se tornar torta,

se essa gente,
essa gente,
que pouco s´importa,
que manda em tudo,
inclinar por aí,
premir um botão,
levado pelo enlouquecimento,
curto momento
sem reacção,

emenda,
momento
sem apelação,
degrau a degrau,
destruição... CAOS...

quantos FORBES,
quantos pobres,
magistrados de toga impecável,
justiceiro lamentável,
justiceiro mais que digno,
indigente sem eira,
sem beira, bébé chorão,
recém-nascido, bebedola,
beberrão,

ditador sem alma,
coração,
cientistas de tantos saberes,
literatos, oportunistas,
vigaristas,

mágicos,
dançarinos,
bailarinos,
tanguistas,
tantos fadistas,
pregadores,
políticos de mau cariz,
feiticeiros,
oradores,
reles aprendiz,

montes e montes de dinheiros,
palácio reluzente,
hotel de belas vista,
piscina enorme,
panorâmica,
tremelicante flâmula,
arrivista,

vespeiro azucrinado,
matilha de lobos ferozes,
leão, arca de Noé,
numa tacinha de café,
predição infernal,
deixa de ser... como é,

também te baterá à porta...

não faz mal,
não importa,
assassino cruel,
destruidor,
médico invicto, professor,
dedo postado, botão vermelho,
loucura, demónio à solta,
matas, selvas, passarada,
entra TUDO numa revoada,


guarnição, forte escolta,
antiTUDO, mais q´abrigado,
ribeira dos meus encantos,
mares assombrosos, esplêndidos,
céu negro, abissal,
raios, coriscos, ventanias,
abraço dos meus amigos,

desmedido enquadramento,
num segundo,
triste momento,
vai-se tudo, acaba o MUNDO,

era uma vez,
quando se fez,

num bang q´acaba num “BING”,
nada,
outrossim,
também te baterá à porta,
alívio, leve respiro,
num instante,
bala dum tiro,

maluqueira que s´agiganta,
neste agulheiro cheio de trampa,
salafrário, cadastrado, acanalhado,
foste muito,
foste um bocado,
tão desfeito,
desfasado!!!... Sherpas!!!...



segunda-feira, 1 de maio de 2017

... danos colaterais!!!...

... não tenho emenda,
reicidente,
enquanto conduzo,
desligo, discuto em surdina,
sem culpa, auxiliador,
pobre GPS que me não satisfaz,
não uso...

... páro,
enquanto encosto,
olhos, nos olhos,
pessoa próxima,
pergunta que lhe posto,
memória, por vezes, m´atraiçoa,
idade não perdoa...

... ideia diferente,
com certeza absoluta,
prescindo,
conheço bem, não minto,
contradição tremenda,
quando m´indica outro caminho,
discuto, baixinho,
desligo,
depois... sigo...

... novas tecnologias,
conhecidas antigas,
sinto afeição,
formação deficiente,
autodidacta,
satisfação....

... tempo anterior,
gosto pertinente,
aprendi o que necessito,
não dependo,
não pretendo...

... contacto directo,
pessoas que partilham comigo,
quando me sinto perdido,
com, sem  GPS,
misturando actual,
com antigo...

... sinto-me completo, mais igual,
muitas vezes,
discutindo
em surdina,
muito baixinho...

... talvez houvesse
menos lixo espacial,
origem de tanto mal,
botão que se carrega,
mortal...

... invasão da privacidade,
o que era mentira,
agora... verdade,
nitidez que nos assombra,
drone que vasculha toda a terra,
ERA da triste realidade...

... confronto permanente,
morte sem cheiro,
horror que se não sente,
espionagem,
desevolução,
guerra que parece jogo,
jogo que parece guerra,
insensibilidade,
danos colaterais, matanças em barda,
“no pasa nada”
insegurança... na modernidade...

... admito,
lado positivo para quem usa,
conhecimento perfeito de tudo,
mente alargada mas... confusa,
satélite, lixo espacial,
GPS inusual,
tanto aqui... em qualquer lugar...

... MUNDO mudou,
tornou-se mui pequeno,
avançamos muito depressa,
consciência,
quase veneno,
mortandade que se gerou,
sem escoderijo, sem buraco...

... devassa que s´arremessa,
olhar conspícuo
que, a mim... pouco interessa...

... falta de privacidade,
TUDO, ao alcance dum clique,
jogatanas de brincar,
espionagem afincada,
simples peões
num imenso jogo de xadrez,
era uma vez,
multidões...

... controle que s´aceita,
erro que nos reduz,
botão menos indicado,
corpo vivo,
corpo matado,
bom, mau bocado,
infeliz resultado...

... ganância extrema,
fugaz, repentina,
que nos acena,
envolve,
não resolve,
chacina...

... carnificina,
policiamento,
triste momento,
encantamento...

... resolução,
algoritmo, programação
infinita, pelos vistos,
mais, menos aplicação,
resolução,
fácil encaminhamento,
tão presos, conduzidos...

... robótica excepcional,
tão actual, proveitosa,
vai segura, não formosa,
tempo distinto,
tempo moderno,
tempo antigo...

... vamos ao ínfimo,
vamos ao auge,
intensa gula, voragem,
conquistas inusitadas,
mudança de linguagem,
semântica que nos envolve,
tudo se ganha,
tudo se perde,
nanotecnologias,
mundo QUÂNTICO,
acelerador de partículas que m´assombram,
poderes de destruição incríveis,
podemos deixar de ser
com um clique irresponsável,
muitas vezes,
podem crer...

duplicamo-nos,
quando queremos,
já sabemos como fazê-lo,
clones de nós, certamente,
na célula mínima, grande pista,
ADN completo
que s´avista...

... alguma cautela, por enquanto,
conhecimento não dá para tanto,
sonhos grandiloquentes,
somos DEUSES,
somos vítimas,
TEMPLOS que vamos destruindo,
grãozitos d´areia na IMENSIDÃO,
avançando, regredindo,
grande ponto d´INTERROGAÇÃO...

... inconformismos permanentes,
quantas vidas, quantas gentes,
quantos MUNDOS... tão diferentes???... Sherpas!!!...
  

sábado, 22 de abril de 2017

... a minha... geração!!!...

... melhor do que o PARLAMENTO,
sem poder de decisão,
gente da mesma geração,
experiência de vida, dado momento,

almas gémeas, no sofrimento,
observadoras, atentas, pensadoras,
sacrifícios cumulativos, formação,
além da própria profissão,
anos que nos foram ensinando,
experiência que nos endureceu,
mais abertos, conversando,
local indicado,
aproximação,

deu-se, como se deu,
aconteceu,

marcou para sempre,
não esquece,
vezes por outras, aparece,
bendita liberdade,
no falar,
no fazer,
sonho, ainda por concretizar,
verdade,

quando nos encontramos,
ficamos sincronizados,
trapinhos mui importantes,
vidinha de muito antes,
comparação que fazemos,
aplaudimos,
criticamos,
espaço comum que temos,

na mesma onda,
passada vivência,
idade provecta,
caminhada longa,
final que se projecta,
interrogação,
muita poeira levantada,
não está na nossa mão,
gente vivida,
gente dada,

passam-se tempos,
semanas, meses, anos,
mais gordo,
mais magro,
problemas de saúde que carregamos,
desvalorizamos,
vamos puxando,
como sempre,
vontade própria, algum esforço,
sorriso na cara,
bem disposto,

quando recordamos infância,
adolescência,
trabalho que ficou para trás,
tanto faz...

passam-se horas bem puxadas,
intervenção de terceiros,
“o gajo era rico”,
sorriso,

estorial completo dos pais,
emigração do Alentejo,
outras paragens,
outros locais,
negócio arriscado, vigarice,
ror d´advogados,
maus bocados,

família unida,
como uma pinha,
salvação, encaminhamento,
outro rumo,
futuro incerto,
sentimento,

experiência nos ensina,
carência nos endurece,
muito antes,
ainda pequenos, sem meios,
quanta oferta agora têm,
uma desdita,
uma inventiva,
confrontações constantes
q´afloram,
memória
não esquece,

brinquedos,
brincadeiras diferentes,
sgredos,
aberta, logo à saída da porta,
rua dos meus encantos,
amplos, convidativos campos,

árvores, plantas, seres diversos,
dispersos,
ali à mão,
joguinho apropriado,
busca, encontro, assombração,
ninho,
criação,

joaninha voa,
voa,
na toca, tarde quente,
canta que canta,
grilo ou ralo nos seus buracos,
melodia desses espaços,
quando o lembro, bem o vejo,
meu,
nosso Alentejo...

materiais fáceis d´encontrar,
pedras da calçada,
arbustros, insectos,
arames, pregos, areia,
contar,
olhos fechados, escondidas,
apanhada,

cavalitas, cintos, montão,
corrida,
pé calçado ou descalço,
uma vida,
outra geração...

o pião, ah... o pião,
o berlinde, o botão,
eixo, rebaldeixo,
índios, cowboys,
polícias e ladrões,
ilusões...

quanta dedicação,
outros tempos,
pouca informação,
latifundiário no seu casarão,
tractorista, maioral, ganhão,
ignorância, miséria, penúria,
pézinho nu, no chão,
fúrias que deram GUERRAS,
quando mancebos,
para muitos, um ponto final,
noutras terras,
na guerra colonial
do Cerejeira e do Salazar,

quanta subjugação,
desperdício dos filhos,
dor dos pais,
da pouca formação,
humildade, respeito, educação,
vidas atalhadas,
choros e ais,

tudo nos vem
quando nos reencontramos,
vezes por outras,
na mercearia da esquina,
no café, na barbearia,
enquanto os profissionais
vão fazendo pela vida,
servindo o cliente,
aguardando por mais,
tão iguais,
tão iguais,

pela idade  que conta,
pela geração a que pertencemos,
recordando,
comparando,

muito melhor do que o PARLAMENTO,
quando falamos de políticos,
políticas,
trazemos à baila,
converseta, quase receita,
sem falha,
gentes pobres,
gentes ricas,

não s´aceita,
somos mais fortes,
resquício que se mantem,
TUDO nos vem,
conhecedores profundos,
entre dois MUNDOS,
não esquecemos!!!... Sherpas!!!...


terça-feira, 11 de abril de 2017

... ilha do TESOURO!!!...

... tendência natural
no ser humano,
em qualquer animal,
espólio tamanho,
resto mais normal,
sobra que se guarda,
esconderijo,
num recanto da casa,
num buraquinho do quintal,

debaixo do colchão,
entre cacos diversos,
ocultação,
resguardado da cobiça,
quando s´enrica
a duras penas, sofrida,

ínvios caminhos,
indevida apropriação,
legal, na banca,
quando metálico,
desde que idónea,
de confiança,
raiozinho de luz, 
nova esperança,

contas secretas,
ILHAS paradisíacas,
numeradas,
em espaços esconsos,
encriptadas,
responsos,
murmurações... ou não

... costuma dizer-se que:
- “para grande aforrador
grande gastador”.
A vida assim o mostra,
constatamos,
percursos sujos, d´enganos,
actos premeditados, amanhos,

cumulações prodigiosas,
artes, feitos
com tantos defeitos,
roubos, crimes, imposições,
muitos milhares de milhões
inapropriados,
escamoteados
diligentemente,
em segredo,
nada se sente,

ilhas ou PARAÍSOS,
sítios recônditos,
inacessíveis,
cautelas seculares,
gerações e gerações...

passa o tempo mas,
não passa a gula,
vontade enorme de dar ar,
mostrar, comprando
por comprar,
fazendo crer que são,
não sendo,
não temendo,

mais à vontade
porque dinheiro em barda
não deixa de ser dinheiro
que tudo adquire,
respeito, títulos, posições,
religiões,

na berra,
mostrando,
fácil,
tão fácil gastar 
o que se não suou,
não era, deixou de ser,
esqueceu,
tempo passou,

altas escarpas rochosas,
difícil acesso, por mar,
guarnição bem composta,
em terra,
mui longe do enfrentamento,
da guerra,

recolhimento,
grutas de base profunda,
inacessíveis,
quase impossíveis,
mapa, escrupulosamente, desenhado,
bem guardado,
como herança,
traspassado,

por morte repentina,
doença, sem cura,
continuidade
no primogénito avisado,
homem de confiança provada,
cabazada inesperada,

riqueza d´espantar,
ali,
na proximidade do mar,
de geração em geração,
título nobiliárquico que compra,
deferência de credos,
sociedade,
outra vidinha,
risonha inverdade,

filhos e netos,
príncipes e princesas,
grandes condes, marquesas,
propriedade dependente,
condado, principado,
pequeno “ESTADO”
protectorado...

ilha insignificante
na imensidão d´oceano,
tal como antes,
do tesouro,
enterrado
pelos que seriam enterrados,
sem testemunhos,
sem rabos,

coordenadas bem certinhas,
latitude, longitude,
bonequinho, a preceito,
mapa guardado, junto ao coração,
pelo sim, pelo não,

era o jeito
da pirataria,
que depois morria,
na abordagem, na refrega,
outra entrega,
outra busca, interrogação,
procura... em vão,

mais actual,
pequeninas, como então,
espaços modestos,
permissão,
esconderijo, tesouro,
ocultação,

longe das vistas,
boas valias,
tão secretas,
nada acessíveis,
quão incríveis,

pirata d´agora,
q´arrecada, que mata, que rouba,
não chora,
que ninguém saiba,
que ninguém ouça,

branqueamento,
desvio enorme,
gente com fome,
ambição,
ganância ao alto,
legal,
sem percalço,

seguríssima ilha do TESOURO,
nomenclatura diferente
de certa gente,
anátema vergonhoso,
estrela na testa,
bem precioso,
cobiça de vida,
esconjuro permitido,
guardado, vertido,
amargo sorriso!!!... Sherpas!!!...


sexta-feira, 31 de março de 2017

... o herói das... botas d´ouro!!!...

... pelo desenho geográfico,
desde que nos formámos como NAÇÃO,
com muita ou pouca diversão,
altos e baixos, d´arrasar,
quanto ao SOCIAL,
pequeno rectângulo,
plantado à beira-mar,

povo manso, bom feitio,
iliterato,
sopas e descanso,
esperteza saloia,
desenrascanço,
uma q´outra tramoia,
parco desiderato,

afilhado, padrinho,
compadre também,
curva dobrada pela cerviz,
olhos no chão, servil,
lambuzão,
sem apelação,
como quem diz,

quase,
quase vocação,
sem balizas, sem redes,
com bola no meio,
treinadores em barda,
em qualquer meio de comunicação,
grande estopada,

artista de relevo,
heroicidade que se conquista,
não na liça,
no relvado,
bom bocado,

estatuária merecida,
troféus, satisfação,
galgando muitos obstáculos,
altos, baixos,
nosso recreio,
destino, desinteresse,
enleio,

PAÍS que não é PAÍS...
antes campo de futebol,
configuração,
maneira d´estar, fazer,
pensar,

num deixa andar constante,
simples figurante,
que não critica,
compara,
quando olha, quando ouve,
quando repara,

mão na bola,
bola ao alto,
pontapé portento,
quanto intento,

driblanço, salto,
arremetida,
vitória conseguida,
delírio, paroxismo colectivo
quão activo,

tempo diferente,
pouca inventiva,
ambição reduzida,
são milhares, multidões,
ilusões,
deslumbramento,
monumento,

emoções,
no rectângulo geográfico
que se diz PAÍS,
como quem diz...

fomos tantas coisas,
fizemos o que somos,
somos o que fizemos,
ostentámos, demos,
reduzimos, ocupámos,
perseguimos, trucidámos,

primeiro passo,
actividades várias,
entoámos loas,
espalhámos árias,
ameno,
fizemos grande o q´era pequeno,

despertámos cobiça,
décadas, séculos, vida,
respeitámos a morte,
desrespeitámos a vida,

expulsámos, massacrámos,
espalhámos,
falsa crença,
esperança, sentença,

aglutinámos,
vendemos, comprámos,
fomos fracos,
soberbos, sanguinários,
sem jogos,
noutros desafios,
enfrentamentos, momentos,
logros,

diversos nos imitaram,
roubaram o que não era nosso,
quanto receio, quanto fosso,
esquecimento,
memória do bom amigo,
aliado, invasor,
perseguido,

corsário, inventivo,
inábil possuidor,
ficámos tesos,
não dignos, afectos,
curvilínios, não rectos,

pouco espertos,
iliteratos, bananas,
quantos sacanas,
mui mansos,
descansos,

MUNDO está virando,
virou, completamente,
depois de tantos percalços,
arremetidas constantes,
precipitações de vulto,
inculto,

da cabeça para os pés,
acessório,
por cima dos ombros,
nenhum repertório,
tão vago,
estagnado,

habilidade,
mais em baixo,
triste realidade,
obscena, incompreensível,
divertida,
conseguida,

vamos nessa, não contesto,
desgosto mas,
aceito,
tremendo defeito,
espécie de vocação,
estava predestinado
pela configuração...

da turbamulta anónima,
nunca, tal coisa, se viu,
eis o herói que surgiu,
topónimo adequado
ao invés do acanalhado,

do gatuno inveterado,
do intelectual de pacotilha,
do poeta de fraca rima,
do líder falso,
contestado,
herói de morte matada,
fomentador de guerra,
massacre,
outra ERA,
tempo diferente,
outra gente,

não,
sou insuspeito,
autêntico “case study”
que, embora nascido,
criado
neste belíssimo bocado,
sem vocação,

não sou dado a futebóis,
não adoro os “heróis”
quando, no estádio, ululantes,
não me vou em milagres,
orando, na basílica, devotantes,
naquela cova abençoada,
do homem de branco
da fronteira mais que cerrada,

do fado corrido ou cantado,
no anfiteatro, deleitado,
formoso rectângulo encantado,
com, sem relvado,
alegoria,
simples fantasia,

sonho,
numa manhã de VERÃO,

ilusão!!!... Sherpas!!!...

quinta-feira, 16 de março de 2017

... passagem!!!...



... tempo passa vertiginosamente,
quase não nos apercebemos,
vamos vivendo, num repente,
passam dias, meses, anos,
preenchidos,
como sabemos,

criança medra,
faz-se adolescente,
décadas somam, puros enganos,
realidade que nos faz velhos,
olhamos para trás,
recordamos,

rapaz,
homem crescido com filhos,
quantos cadilhos foram para os pais,
rotina que s´inverte, casa deles,
dos pais,
quadros tão iguais,
como os mais,

tudo que nos rodeia,
como num filme,
vai alterando,
evolução criativa,
quando em PAZ, recreia,
incentiva,
com atritos, convulsões,
um crime,

observo a máquina do tempo,
velocíssima, voraz,
não pára um momento,
sequer,
não atende o incapaz,
não se sujeita ao mais audaz,
incompetente
ou competente,
sem distinção,
vivendo ou quase a morrer,
dita regras,
indiferente,

todos iguais no nascimento,
berrando,
ambiente estranho,
esperneando,
mui débil, carente,
nos entretantos,
cúmulos de manias,
sonhos e fantasias,
vida plena d´encantos,
crente
 ou não crente,

anos carregam,
embranquecemos,
quando os temos,
rugas no rosto,
o q´era viçoso,
não tão formoso,
achaques dispersos,
menos valias,
a velhice...

q´é uma chatice,

com ou sem saúde,
perda d´entes queridos,
choradinhos, queixas,
doenças graves,
passageiras,

farmácia,
laboratório,
hospital,
médicos diversos,
arrastamentos,
falácia,

momentos difíceis,
envoltório,
quantos
 e quantos lamentos,
terminal,
incríveis,
falíveis,

próteses a que nos habituamos,
salvação de muitos,
pequenos, graúdos,
ponto final,
tão igual,
tão igual...

quanto nos assemelhamos,
ricos e pobres,
enquanto sofres,
enquanto cresces,
enquanto morres,
mereces,
não mereces,

por vezes... berramos,
outras vezes, encaramos,
naturalmente,
mente, mente....

ninguém s´escapa,
vai-nos devorando,
tal como o vento,
batendo, batendo
em rocha dura,
erosa,
esbate,
dispersa em grânulos pequenos,
sítios amenos,
desérticos, às vezes,
por vezes,

altera entorno,
modifica ambiência,
cálido ou morno,
gélido, seco,
o tempo, o verme
que se julga enorme,
que destrói,
TUDO come,

eras uma criança,
foste adolescente,
cresceste,
disseminaste,
formaste,
envelheceste,

foste homem racional,
irracional,
plantaste,
escreveste,
sonhaste...
sofreste, morreste...

tu és pó,
pó serás,
aparência virtual,
supetão,
repente, incapaz,
tanto faz...

água mole, em pedra dura,
tanto dá, até que fura...

o Tempo... ah, o TEMPO!!!... Sherpas!!!...

  

sábado, 18 de fevereiro de 2017

... os livros... ah, os livros!!!...

... apreciando,
vivendo,
não julgando,
desviando de triste figura,
ouvindo,
não lendo,
criticando,

como na conjugação dum verbo,
quanto defeito,
quanta amargura,
pretérito imperfeito
cavalgando o que se desfigura,
aviltamento,

cantinho do desassossego,
ignorância que s´acumula,
distanciamento
misturado
com tanto medo,

tapete sujo que se prolonga,
sem delonga,
num ápice,
apontamento,

projecção esbatida,
séquito que se não esvai,
arremetida
do que se mantém,
não cai,
tão aquém,

chusma d´arabescos
recolhidos num calhamaço,
letras tão unidas
formando parcas ideias,
palavreados,
frases
sem regras,
sempre os mesmos,
como os fazes,

muito aquém do que se diz,
não o olhas,
não lhe pegas,
traste q´esgotou este PAÍS,

tão pouco,
desprezas,
solitário, convencido,
louco,
bem ou maldito,
tolero,
não apouco,

tal como o que faço,
comparando,
não pretendendo,
distanciando,
nos blogues me vou quedando,
não sendo,

quilómetros,
em comprimento,
mania que me conduz,
escrevendo,
vou falando,

martelando
teclado amigo,
ideias que trago comigo,
azar de quem as lê,
quando as espalho,
quando alguém vê,
tão diminuto,
tão falho,

ideia precisa do que sou,
daquilo que sempre fiz,
sem escolta,
enquadramento,
num repente,
breve momento,

salto que m´eleva no espaço,
dia claro,
prometedor,
sol radiante,
tão feliz,

enceto caminhada,
um que outro voo,
parte incerta,
encontro,
olhos escancarados pr´ó MUNDO,
no qual não me confundo,
individualidade mui concreta,
mente sã,
tão aberta,

contacto,
reparo,
aprecio,
ponho de lado, desconfio,
ombro a ombro,
mesmo ao lado,
olhos nos olhos quando falo,
entendimento que procuro,
lado límpido ou... obscuro,

retenho na memória,
bem remoída,
outra estória,
q´empino, com tanta cautela,
liberto, na hora certa,

quando a leio,
meu recreio,
satisfação,
no blogue, na rede,
minha opção,

lá fora,
campeia o frio,
ao invés,
sol quente, calor q´aperta,
mais uns escritos,
fases que se propiciam,
mais uns quilómetros,
que t´aliviam,

depois de lidos,
revistos,
encasquilhados
como bem gosto,
meus encantos,
nas redes,
quando os posto,
guardados,
meus recantos,


intervalando,
vezes por outras,
ouvindo bocas loucas,
minha distracção,
quando posso,
indisposto,
sensação
que me desgosta,
raivas, iras,
quantas birras,
no parlatório da NAÇÃO,

triste de mim,
PÁTRIA vilipendiada,
por GANÂNCIAS,
por interesses,
gente má,
ah... os livros,
gente ruim,
que bons amigos,
gente boa,
que bem me soa,

entediada,
mal encarada,
pelo PODER,
de corno, grande dor,
fazendo sofrer,
no cotovelo,
amargor,
disputa,
espécie de luta,
desvelo,

carregando
no verbo,
quanta fúria,
palavra escrita,
enviesada,
situação espúria,

coisinha de nada,
determinado instante,
dado momento,
quanto lamento!!!... Sherpas!!!...